Ceos club
Carreira

19 dicas para que os jovens aprendam com a vida real

Experiências de aprendizado no mundo real do trabalho podem ensinar muito sobre persistência e gerenciamento de projetos

11/06/2019 21h15
Por: Cristian Ribeiro
Fonte: Forbes Brasil
Os alunos da Washington Leadership Academy não apenas participam de estágios, mas também utilizam a realidade virtual para ampliar suas experiências.
Os alunos da Washington Leadership Academy não apenas participam de estágios, mas também utilizam a realidade virtual para ampliar suas experiências.
  • Para expandir o acesso a um maior aprendizado sobre a vida profissional, a Ridgefield High se juntou a CAPS Network, uma rede com mais de 100 distritos escolares comprometidos em oferecer ensinamentos do mundo real para os estudantes;
  • Aprender na prática é ótimo, mas é preciso preparação e compromisso contínuo.

Emma Haynie e Jordan Nash administram um café na cidade e planejam realizar um evento voltado para a caridade. Eles são estudantes da Ridgefield High, que fica 32 quilômetros ao norte de Portland.

Nash admitiu que procrastinava em alguns dos cursos nos quais se inscreveu, mas acrescentou que suas experiências no mundo real lhe ensinaram muito sobre persistência e gerenciamento de projetos. “Há dinheiro de verdade envolvido”, disse ele.

Para expandir o acesso às lições do mundo real, a Ridgefield High se juntou à CAPS Network, uma rede com mais de 100 distritos escolares comprometidos em oferecer ensinamentos do mundo real para os estudantes.

O Centro de Estudos Profissionais Avançados (CAPS) foi aberto há uma década como um espaço de aprendizado profissional no Distrito Escolar de Blue Valley, a sudoeste de Kansas City. O objetivo da iniciativa é avançar para o futuro por meio da imersão em uma cultura profissional, problemas do mundo real e uso de ferramentas padrão do setor – orientadas por profissionais -, como horas complementares para o ensino médio e superior.

Aprender na prática é maravilhoso, mas é preciso preparação e compromisso contínuo. Veja a seguir, 19 dicas sobre como aumentar o engajamento e a relevância com as lições ensinadas pelo mundo real:

 

Planejamento e preparação

1. Envolvimento da comunidade

Se você quer mais jovens engajados em projetos significativos, com o benefício dos estágios, em busca de experiência ou de seu primeiro negócio, o momento para começar se dá em conversas na comunidade sobre metas de aprendizado. Basta perguntar: “O que está acontecendo? O que isso significa? Como estar preparado?”. As respostas produzirão um rico perfil de interesses e apoio para os ensinamentos no mundo real.

2. Conscientização de carreira

Ajude os alunos a desenvolverem uma visão ampla e progressista de onde e como poderiam contribuir. O Distrito Escolar da União do Vale de Cajon introduz sistematicamente os alunos no mundo do trabalho por meio de 54 experiências de exploração de carreira entre o jardim de infância e o nono ano. Cada uma das atividades inclui descoberta, simulação, conhecimento de um profissional e prática.

3. Orientação de qualidade

A orientação de qualidade geralmente é fornecida por meio de um sistema de aconselhamento, um modelo distribuído que garante a cada aluno uma postura adulta madura que monitore o desenvolvimento social e acadêmico e promova ampla exposição a opções de carreira. Um consultor de confiança e um bom algoritmo podem fornecer percepções personalizadas e localizadas de carreiras, opções para depois do ensino médio e planejamento, de maneira a ajudar os jovens a combinarem suas forças, interesses e valores com as oportunidades existentes no mercado.

4. Avaliação de competências

A avaliação formal das habilidades e a determinação informal dos interesses são importantes para individualizar um programa de profissionalização. Testes de preparação podem ser úteis. Estabelecer um modelo de metas no início ajuda no processo de desenvolvimento da carreira e avaliação do programa.

5. Tempo e espaço

Pode ser desafiador abrir espaço em uma agenda ocupada de ensino médio para o aprendizado profissional. Mas isso pode significar tornar a experiência um requisito de graduação e reduzir outras exigências. Incentivos para participação também podem ajudar.

6. Planejamento de experiências

Em vez de jogar os estudantes em ambientes de trabalho difíceis, uma pirâmide de atividades pode construir a identidade do aluno e prepará-lo para o sucesso. Experiências valiosas incluem visitas a locais de trabalho, descrição das vagas de emprego, projetos conectados à comunidade, entrevistas simuladas e estágios de férias.

As escolas também podem promover valores corporativos, como respeito, responsabilidade, curiosidade e dedicação. Em Denver, nas escolas do sistema DSST, o desenvolvimento humano é tão relevante quanto o acadêmico – os alunos recebem feedbacks regulares sobre valores.

7. Preparação do estudante

Os alunos precisam de habilidades profissionais para serem bem-sucedidos no aprendizado voltado para o mercado de trabalho. Eles precisam saber como apertar as mãos, se apresentar, responder perguntas em uma entrevista, interpretar situações sociais. A orientação deve incluir interações práticas e dicas sobre comportamento e vestimenta apropriados.

Cristo Rey é uma rede de 35 instituições católicas de ensino onde os alunos passam um dia por semana em um estudo profissional. As escolas realizam um projeto de preparação dos alunos para que eles tenham sucesso no ambiente de trabalho. As lições de preparo para a vida profissional podem fazer parte de um sistema consultivo.

8. Aprendizado profissional para educadores

A chave para os grandes ensinamentos do mundo real para os alunos é um compromisso contínuo com a capacitação de qualidade dos professores. Os membros da Rede CAPS aprendem uns com os outros – grande parte dos professores participa de encontros para atualizações e trocas sobre o ensino.

Já os professores de Indiana são solicitados a realizar estágios de 15 horas com empresas locais. Embora bem intencionadas, a qualidade dessas experiências é função da escola local e da liderança do sistema.

Abastecimento e gerenciamento do ensino profissional

9. Buscar parceiros de negócios e vagas de estágio

Escolas, distritos e redes devem criar relacionamentos com parceiros de negócios que incluam oportunidades de estágio. Acordos formais são fundamentais para o sucesso das experiências de ensino para o mercado de trabalho.

10. Gestão de estágios

A equipe da Big Picture criou o Imblaze, uma plataforma de gerenciamento de estágio que ajuda jovens a encontrar oportunidades. Depois de escolher a vaga, o aluno vai até o trabalho e faz o check-in no site usando o aplicativo de celular. O conselheiro recebe a notificação de que o jovem está no local. Os mentores podem fornecer feedbacks aos alunos e os orientadores conseguem acessar as avaliações para revisar.

11. Acordos regionais

Formulação de diretrizes sobre criação e compartilhamento de oportunidades para aprendizes entre as regiões, para que haja acesso equitativo aos estudantes.

12. Comunicação de habilidades

Aprendizes que obtêm experiências valiosas, incluindo noção do ambiente profissional, certificados e esforços empreendedores (a Kauffman Foundation, de Kansas City, chama esses ativos de valor de mercado) precisam comunicar suas capacidades. As estratégias incluem portfólios, perfis no LinkedIn e portais específicos.

13. Certificados comerciais qualificados

Em muitos mercados, um certificado de comércio especializado pode ser o que o investidor Ryan Craig chama de um avanço para um bom primeiro emprego. Em alguns negócios, trabalhos com bom salário podem ser o primeiro passo em uma escada profissional e de aprendizado.

A ACE Leadership High School, em Albuquerque, atende alunos que já estão ou estavam prestes a desistir. Os projetos sempre estão ligados a um desafio do mundo real em arquitetura, construção ou engenharia.

Em Chicago, os sindicatos estão liderando o caminho para o desenvolvimento de um novo ensino médio para melhorar históricas taxas baixas de participação de minorias nos programas de aprendizagem da cidade.

14. Manufatura avançada

O Manufacturing Institute patrocina uma série de certificados de qualificação. Em Wisconsin, a GPS Education trabalha com empregadores e distritos escolares para oferecer uma combinação de aulas de manhã e estágios em manufatura no período da tarde.

Os estudantes do CAPS, em Kansas City, podem participar de um estágio em uma fábrica da Magna, onde são produzidos chassis para carros. Após a formatura, os jovens podem trabalhar como operadores de máquinas e participar de um programa de três anos sobre ferramentas de manutenção. A Magna paga por aulas e livros na faculdade local, onde os alunos ganham um certificado de manutenção industrial.

15. Robótica

O RAMTEC, no Centro de Carreira Tri-Rivers, em Marion, Ohio, foi o primeiro a oferecer um programa de robótica que possui certificação industrial nos principais equipamentos. O projeto está agora disponível em 22 outros centros de carreira em todo o estado. Empresas, como a Honda, contratam formandos do RAMTEC e apóiam o aprendizado contínuo.

O mundo real na sala de aula

16. Projetos comunitários conectados

A NYC iSchool envolve estudantes em projetos ligados a questões e parceiros da comunidade. A Health Leadership High, em Albuquerque, pesquisa anualmente os provedores de saúde comunitários para identificar projetos prioritários.

17. Mentores e especialistas

Os mentores podem ajudar a construir a identidade do aluno. Ao se encontrarem pessoalmente ou online com os jovens, eles criam confiança, habilidades no local de trabalho e conscientização de carreira. Conectar-se com especialistas durante um projeto cria relevância e profundidade. Os alunos de Cajon Valley, por exemplo, falam com especialistas do setor da plataforma Nepris.

18. Capital social

O potencial para trabalhar com mentores e especialistas ajuda os jovens a construírem seu capital social. Julia Freeland Fisher defende que o recurso determina frequentemente onde o jovem frequentará a escola, as experiências de trabalho que ganha, quais empregos estão disponíveis e com que rapidez as carreiras avançam. Além disso, ajuda a criar conexões locais, desperta grupos de interesse e faz com que o aluno se forme com um perfil robusto no LinkedIn.

19. Simulações

Os alunos da Washington Leadership Academy não apenas participam de estágios, mas também utilizam a realidade virtual para ampliar suas experiências. Outras aplicações da tecnologia incluem viagens virtuais, idas a universidades e treinamento profissional.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários